Pular para o conteúdo principal

Diretor: M. Night Shyamalan

Hoje vamos falar do famoso produtor, roteirista e diretor M. Night Shyamalan. Nasceu na Índia, mas mudou-se cedo para os EUA, mais precisamente em Filadélfia local em que vive até hoje e também serviu de cenário para grande parte de seus filmes.

Filho de dois médicos, desde a infância já mostrava sua paixão pelo cinema, fazendo filmes com sua câmera Super 8 e tendo como ídolo o Steven Spielberg. Foi na Universidade de Nova York em que começou a dar seus primeiros passos no mundo do cinema, adotando o "Night" em seu nome e dirigindo o seu primeiro filme, em 1992, chamado "Praying with Anger", no qual ele fez praticamente tudo, isto é, dirigiu, roteirizou, produziu e atuou. A história é parcialmente autobiográfica, narrando a volta a Índia de um imigrante há muito tempo vivendo nos EUA.
Seu próximo filme só foi acontecer em 1998, chamado "Olhos abertos", uma comédia dramática  que mostra a vida de um garoto em busca de autoconhecimento e Deus, após a perda de um parente querido, seu avô.
No ano seguinte, ele lançou o seu melhor trabalho (na minha opinião): "O sexto sentido", o filme mostra o Bruce Willis no papel de Dr. Malcolm, responsável por tratar um garoto que diz possuir o poder de ver e falar com pessoas mortas. Foi aqui que eu comecei a entender o que é um filme com reviravolta e inclusive nós já citamos em nossas recomendações de filmes com plot twist, não deixem de conferir aqui.
Seu sucesso anterior, rendeu outro ótimo filme. Repetindo a parceria com Bruce Willis, em 2000 temos "Corpo fechado", em inglês o nome original é "Unbreakble", não cheguei a buscar a origem/motivação do nome em português, mas acredito que possa ter ligação com o conto Corpo Fechado de Sagarana, obra do escritor brasileiro Guimarães Rosa. O filme é uma indicação para os fãs dos quadrinhos por tratar, ainda que não tão explicitamente, de um filme de herói.
Em 2002, entrou um pouco na temática de vida fora da Terra com "Sinais", o filme mostra uma família que começa a receber em suas plantações estranhos e inexplicáveis sinais. Ao mesmo tempo, acompanhamos o personagem do Mel Gibson, um reverendo que perdeu a sua fé a ponto de não desejar ser mais chamado de pelo seu título religioso. Acredito que o filme possa ser um pouco datado para quem decidir assisti-lo atualmente, mas a tensão que a história causa é muito boa.
Seu próximo filme, "A vila" foi lançado em 2004 e já apresenta uma certa queda de qualidade, ainda assim considero um filme mediano. A história é ambientada em uma vila totalmente isolada, lembra muita aquelas comunidades Amish. Neste local as pessoas vivem em paz, consumindo apenas o que produzem como se fossem os únicos habitantes da Terra. Este isolamento só é possível porque há um medo de ultrapassar a fronteira e lidar com os seres misteriosos que habitam a floresta.
Dois anos depois, temos o primeiro fracasso de sua carreira, "A dama da água", que conta a história de uma moça misteriosa que invade um prédio em busca de proteção. O filme custou US$ 70 milhões e rendeu apenas US$ 72 milhões.
A partir de 2008 até 2013, a qualidade de seus filmes caíram muito e muitos chegaram a pensar que sua criatividade tinha acabado. Foi neste período que lançou "Fim dos tempos", "O último mestre o ar", baseado em um desenho e "Depois da Terra", com Will Smith e seu filho Jaden, mas nem o Will com sua participação ajudou a levantar o filme. 


Em 2015, temos um marco importante, ele dirigiu um episódio da série "Wayward Pines" e lançou seu filme "A visita" podemos dizer que ele voltou as suas raízes, fazendo um filme barato, de apenas US$ 5 milhões, do gênero terror e thriller. A história é centrada em dois adolescentes, Becca e Tyler, que estão indo visitar pela primeira vez os avós maternos, eles nunca os conheceram porque a mãe saiu cedo de casa fugindo com o namorado e pai dos jovens. Ao chegar na casa dos avós, eles se deparam com situações estranhas devido a certos problemas causados pela velhice de seus familiares. A maneira como o filme foi gravado lembra muito "A bruxa de Blair" e o final do filme é bem "Shymalan".

Seu filme mais recente é "Fragmentado", com o James McAvoy no papel de um homem diagnosticado com 23 personalidades distintas. Uma de suas  personalidades sequestra três adolescente que precisam lutar para escapar do cativeiro. Não vou comentar muito mais sobre o filme pois qualquer spoiler vai estragar as surpresas do filme, inclusive uma cena final bem interessante.
Shymalan possui várias características marcantes em seu trabalho e, para começar, podemos citar o seu hábito de fazer pontas em seus próprios filmes, dos 12 filmes já lançados até hoje, ele apareceu em 9. Tirando as séries, eles somente não apareceu em "Olhos abertos", "Depois da Terra" e "A visita".
Outra característica comum na maioria de seus filmes é a presença marcante de dramas familiares, como "Sinais", "A vila", "Corpo fechado" e "A visita" ou com temática ligada a Deus, sem exatamente falar de uma religião em particular, seu primeiro filme e novamente "Sinais" são alguns exemplos.
Agora como principal característica de sua filmografia, são os plot twist, grande parte de seus filmes possui reviravoltas,  pequenas ou grandes, mas que já se tornaram uma espécie de assinatura em seu trabalho.

Acredito que o Shymalan é um diretor que não pode ser preso a contratos e grandes orçamentos, sempre que isso ocorreu resultou em fracassos de crítica e opinião do público. Porém, quando ele trabalha em filmes de baixo orçamento, responsável por produção, direção e roteiro, seus filmes começam a apresentar melhor qualidade e apresentando melhores resultados.
Para as recomendações, não podemos deixar de fora "O sexto sentido", talvez seu melhor trabalho. Para fãs de heróis dos quadrinhos a dica é "Corpo fechado" e dos trabalhos mais recentes: "A visita".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Guia de leitura para John Constantine: Hellblazer | Cronologia

10 filmes com personagens protagonistas LGBT

Tropa Dercy - 62 - Irmãos à Obra

Capitã Marvel | Trailer, poster e imagens

Wayne de Gotham | Recomendação de Livro

Churchill e três americanos em Londres | Recomendação de Livro