Pular para o conteúdo principal

Laranja Mecânica | Recomendação de filme "não hollywoodiano" e "horrorshow"

Laranja Mecânica - Clockwork Orange - 1971 - Inglaterra (+18 anos)

[O texto abaixo pode conter spoilers do livro e do filme]

A indicação de hoje é de um dos meus filmes (e livro) preferidos, ainda mais por ter sido dirigido por Stanley Kubrick. A obra foi baseada no livro homônimo do escritor Anthony Burgess e trata de um futuro distópico, em uma Inglaterra dominada por gangues que pregam a "ultra violência". O livro conta com um vocabulário próprio para as gírias, Burgess se inspirou na língua russa para criá-lo. Alguns exemplos são o termo drug para amigo e entra-e-sai para sexo.
Tratando agora do filme, vocês já devem ter percebido que a história é para adultos, há cenas pesadas de violência e estupro que são bem perturbadoras. A história central é focada em Alex, um jovem líder de uma dessas gangues que praticam a "ultra violência", isto é, espancamentos, brigas e estupros. Alex apesar de toda essa mentalidade doentia demonstra ser fã de música clássica, em especial Beethoven.
São diversas as cenas marcantes, mas há um lugar especial que os fãs reconhecem facilmente: a Leiteria Korova, uma espécie de bar em que é servido um leite com algum tipo de droga. Neste local, Alex e seus drugues se reúnem frequentemente.
O comportamento violento do Alex acaba refletindo também em seus amigos, que cansados de tantas humilhações acabam o traindo e provocando sua prisão. Julgado, ele acaba arcando sozinho por todas as maldades do grupo.
A partir deste ponto é onde ocorre um dos momentos interessantes da história, o Alex decide passar por um tratamento experimental, para curar sua mentalidade violenta, conhecido como Tratamento Ludovico. Não pretendo me prolongar em como isso ocorre pois acredito que desta parte em diante, se eu contar mais, acabo por estragar a surpresa das consequências deste tratamento.
Uma curiosidade bem interessante é sobre a cena mais pesada do filme, em que enquanto Alex e seus amigos estão prestes a estuprar uma moça, ele começa a cantar a música do filme "Cantando na chuva", o que foi um total improviso pois Kubrick queria saber se Malcolm McDowell cantava e dançava e a única música que ele conhecia por completo era essa.
Outro detalhe interessante é que o filme, apesar de bem fiel ao livro, não mostrou exatamente o último capítulo, segundo entrevista feitas com Kubrick, ele não gostava do capítulo e o achava desnecessário.

A grande lição que livro e filme trazem é em relação a liberdade de escolha, grosso modo, podemos dizer que é melhor um Alex violento, mas que tenha feito suas escolhas de forma livre e espontânea, do que possuir uma bondade que foi imposta via lavagem cerebral.

Vou deixar recomendado tanto para assistir o filme, como para ler o livro e vocês decidirem se o último capítulo valeria ou não a pena ter sido filmado. Já adiantando minha opinião: concordo com Kubrick.

---
Mais curiosidades:

https://cinema.uol.com.br/album/2013/04/25/conheca-15-detalhes-do-polemico-laranja-mecanica-de-stanley-kubrick.htm?mode=list

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Guia de leitura para John Constantine: Hellblazer | Cronologia

10 filmes com personagens protagonistas LGBT

Capitã Marvel | Trailer, poster e imagens

Tropa Dercy - 62 - Irmãos à Obra

Wayne de Gotham | Recomendação de Livro

Churchill e três americanos em Londres | Recomendação de Livro